RECEBA AS NOVIDADES DO BLOG EM PRIMEIRA MÃO!

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

A concorrência de preços entre as motos. Até onde chegaremos?

Volta e meia me sinto ludibriado. E garanto que um monte de gente comigo também. 

Isso porque você vai na concessionária, compra uma moto por valor "x" (e o x é bastante caro!) e na semana seguinte - ou às vezes até no dia seguinte - pimba! Lhe chega por e-mail um anúncio dando conta de que a moto que você acabou de comprar caiu sensivelmente de preço, e agora custa 10%, 15% menos do que você pagou. 



Você esbraveja, tem ganas de ligar prá concessionária e perguntar se eles acham que você é trouxa - porque, afinal, lhe venderam a moto por tal preço quando poderiam ter lhe feito aquele outro - exige seu dinheiro de volta, diz que vai devolver a moto, ameaça-os de processo, quer lhes jogar à cara o Código de Defesa do Consumidor (que depois, mais calmo, você se dá conta não haver uma linha que diga que o vendedor não pode baixar seu preço quando bem entender), enfim, só falta tocar fogo na moto na frente da loja como ato insandescido de protesto. Que, diga-se de passagem, não vai ter efeito algum, porque, ainda que você pense de forma contrária, você não tem razão alguma. Deveria, isso sim, ficar feliz...

- Como??? Estás louco? Pirou de vez, né? - agora você grita xingando-me...

Digamos que você não teve a (in)felicidade de comrpar uma moto nova. Digamos que a sua já é usada. Pouco rodada, vá lá, não chegou nem a revisão dos 10.000km, porque não faz nem um ano que tirou a moto... Assim, a notícia não lhe abala tanto.

Será? 

Errado. 

Se as novas caem de preço, a sua usada então, vão para o chinelo. Aliás, vai para baixo do chinelo! A moto que você comprou por dezenas de milhares de reais, agora, de um dia para o outro vale dezenas de milhares a menos. Você entra no "moto.com" e parece que os proprietários estão querendo se livrar à qualquer preço das suas máquinas! Indignado, novamente, você tem vontade de ligar para um por um e oferecer "dérreau" pela moto dele. Afinal de contas, ele já está torrando-a mesmo! Não está nem aí se vai ofender, porque o valor que ele pede para a moto é ofensivo para você que tem uma igual e, sim, já estava pensando em vendê-la para trocar por um modelo mais novo, ainda mais agora que cairam tanto de preço... Só não quer, é claro, entregá-la por tão pouco que é o que está na tabela Fipe, sendo que é melhor pensar em apenas 90% daquele valor se quiser vender rápido para pegar a "promoção" da zero km.

Bem ou mal, mais cedo ou mais tarde, você acaba se dando conta que todos estamos no mesmo barco, e que, a concorrência de preços é invariavelmente prá lá de saudável. E que quanto mais barato as motos ficarem, melhor para todo mundo no médio/longo prazo!

Seja Triumph Tiger, Suzuki V-Strom, Yamaha Super Ténéré, BMW R1200GS LC ou F800GS, entre outras, todas cairam radicalemente de preço, e agora estão muito mais em conta. Tudo fruto da saudável concorrência e da imutável "lei do mercado", que agora finalmente parece comecar a se aplicar em "terra brazilis".

Lembrando que ainda tem bastante espaço para cair mais, e o que hoje parece "barato", será caro amanhã. Claro, não é por isso que você vai ficar esperando para comprar a sua indefinidamente, já que vai cair de preço. O que você deve sempre fazer é pedir um descontinho a mais, ou colocar aquele acessório que você tanto quer por um preço melhor ou mesmo "de brinde". Porque não? Você quer comprar, o vendedor quer vender. Você tem a grana na mão, o vendedor precisa desta sua grana para "sobreviver" neste mercado insano. Se ele não vende, quebra, e aí é que entra a sua capacidade de negociação. Simples assim, lei de mercado. É uma assertiva da qual você sempre deve lembrar quando negocia uma moto...

E você, no fim das contas, sai ganhando ou perdendo?

Como sempre digo, tudo depende de como você vê o copo. Se meio cheio, ou meio vazio...

De minha parte, hoje em dia, prefiro ver sempre meu copo meio cheio.

Nunca se perde, quando no fim se ganha. 

E você? Como prefere ver seu copo? 

Até breve!!!


Crédito das fotos: 
Google images





Aluguel de motocicletas para Aventureiros
Consulte-nos quanto a valores, tours e transporte de sua moto.
aek@aekmotos.com 

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Ushuaia de moto - É o fim do mundo!

Ushuaia é conhecida como a cidade do fim do mundo. Uma das mais austrais cidades do planeta, Ushuaia chama a atenção da maioria dos motociclistas, não havendo aquele que não queira - mais cedo ou mais tarde - empreender uma viagem de moto até lá.


Considerada viagem-desafio por conta das distâncias a cobrir, tem ainda dificuldades relacionadas aos fortes ventos perto do Estreito de Magalhães, que, até algum tempo atrás, ainda contava com trechos longos de rípio, o que deixava o motociclista ainda mais sujeito aos elementos da natureza e/ou quebra na moto, devido aos esforços da máquina e do piloto. Agora, contudo, praticamente todo o trajeto até Ushuaia pode ser feito por estradas asfaltadas, em excelentes condições de conservação, como costumam ser as rutas argentinas e chilenas, não havendo moto - de que estilo for - que não possa chegar lá.

Com tudo isso, apenas uma última dificuldade parece separar o sonhado destino dos motoaventureiros: as distâncias absurdas a serem percorridas...

Para um motociclista experimentado, os quase 9000 quilômetros da viagem de ida e volta partindo de Porto Alegre/RS, não representam maiores problemas, podendo ser preenchidos em até 10 dias pelos que gostam de sentar na moto e rodar, rodar, rodar, hora após hora, dia após dia. Contudo, o grande problema deste tipo de viagem - que costumo chamar de "corrida maluca" - é o fato de que o motociclista pouco vai ver, quase nada vai aproveitar. E veja que estamos nos limitando a Porto Alegre/RS, a capital mais ao sul do Brasil! Se partir de São Paulo são mais de 11000km, do Rio aproximados 12000km, do Nordeste distâncias superiores a 13500km e assim vamos aumentando cada vez mais quanto mais ao norte estiver o motociclista.

Por mais que se rode, fazer mais de 1200km ao dia, um depois do outro, é quase uma impossibilidade, sem falarmos nos riscos envolvidos por conta do fatal cansaço que irá tomar conta do piloto dali a um par de dias, derrubando sua atenção para níveis prá lá de perigosos. E, como se sabe, o interessante de se andar de moto é ter a possibilidade de poder andar de moto no dia seguinte, e no outro, e no outro, coisa que você dificilmente fará em caso de acidente, seja por danos a moto, seja por danos em você mesmo. Então, para quê se arriscar? É claro que riscos fazem parte de uma aventura, mas dar margem a maiores riscos além dos que já existem, no mínimo não é atitude inteligente. É como querer escalar uma alta montanha sem se aclimatar e na pior estação do ano possível, contando com o êxito. Isso definitivamente não é mais aventura. É suicídio... 

Alguns podem dizer que basta um pouco de planejamento e... 30 dias de férias! Ok... Mas e quem não tem ou não pode tirar 30 dias de férias, como acontece com empresários, autônomos e outros que não podem abandonar suas empresas e negócios por tanto tempo assim? Como ficam? "Perdem" o direito de ir para Ushuaia? 

Antes sim... Agora não. Salvo se com "visão limitada" ou desculpas ilimitadas.

Tenho um lema de que para tudo na vida sempre há um jeito. Tudo tem solução (salvo quanto a morte e os impostos!).

Ontem mesmo tive uma reunião, onde quem coordenava a mesma, enchendo o peito com orgulho, disse algo parecido alegando que sempre se tem duas saídas. Mostrando a sala onde estávamos, foi enfático em dizer: "Quando se está numa sala destas, se tem ao menos duas "saídas". Uma é ficar dentro da sala. Outra é sair pela porta...".

Imaginei a sala pegando fogo...

E enquanto ele falava isso, por razão que bem conheço oriunda de meu ancestral "espírito inquieto", imediatamente olhei a janela basculante, imaginando até onde ela abriria e como eu faria para transpô-la, chegando rapidamente do lado de fora daquela sala. Não, meu caro! Você está enganado! Não existe só uma maneira de se sair, de ir. A alternativa não é ir ou não ir por falta de tempo, oportunidade, modo. A alternativa não é ir só por ali, só daquele jeito. Não é ficar ou sair. 

Nunca é. 

Para mim, a coisa sempre é porque ficar, como, quando ir, por onde, etc. Mas nada nunca me impediu de buscar meus sonhos. De uma maneira ou de outra.

E você? 

Ainda arrumando desculpa de falta de tempo para não ir a Ushuaia?    

Nós estamos indo... Vamos nessa? Nos vemos lá!

Até breve!

Crédito das fotos:
Júlio Cezar Lima, Maurício Pena e Vicente


* A A&K Motorcycle Rentals trará sua moto de Ushuaia no dia 25 de abril. É sua oportunidade para ir até lá em espaço de tempo menor! Vá com sua moto, volte confortavelmente de avião. Programe-se! Ainda temos 5 vagas em nosso reboque (reforçado, rodado duplo, com sistema de freios). Contate-nos no email aek@aekmotos.com para maiores detalhes.