RECEBA AS NOVIDADES DO BLOG EM PRIMEIRA MÃO!

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

A melhor marca de moto do mundo!

Já briguei feio - e quando digo feio, é feio mesmo, com ameaça de morte, inclusive - por conta de paixões quanto a marcas e modelos de motos. 


Hoje considero isso uma grande bobagem! Coisa de criança até, eu diria...

Lembro que conhecido, há coisa de 10 anos, defendia que as Harleys era a melhor coisa que foi feita desde as pirâmides do Egito e época que meu pai não era nem nascido, enquanto eu, era adorador ferrenho das Suzuki's e suas altas cilindradas e velocidade. 

"Velocidade não é nada!", dizia ele. "Não me adianta velocidade em cima de um monte de plástico que, além de se desmanchar, é coisa de modinha, ano que vem sua "jáspion" já não vale mais nada e a tecnologia dela vai estar ultrapassada... Jáspions que nem vocês ficam correndo alucinados e se perdem na primeira curva. Não chegam ao destino. De que adianta???".

É óbvio que eu não poderia entender o lado dele! É óbvio que ele não tinha nenhuma razão ou fundamento naquele monte de besteira que estava dizendo. E lá vinha eu com montes de pedras na mão, mirando com vigor todas as Harley's existentes no mundo dos vivos ou dos mortos, tentando calar-lhe a boca:

"Ah... Bom é Hargley, né? Ficar juntando as peças que caem no caminho dessa traquitana que vibra mais que liquidificador velho". E dava ênfase à sequência. "O que adianta, além de não ter velocidade, ficar com esse caco velho que vale só como relíquia? Isso é peso morto! Serve bem as peças para peso de papel. Moto de tiozinho, de véio...".

Horas e horas se passavam, argumentos mil, trazia correligionários para um lado (eu tinha bons argumentos, e ou era convincente, ou achavam bom não contrariar doido ou ainda queriam ver mesmo o "circo pegar fogo"...), saudosistas se atiravam pro outro lado, americano. Parecia uma verdadeira guerra fria. E foi aí que então a coisa começou a descambar para as agressões pessoais, ameaças veladas e depois claras. Comecei a andar de moto olhando para os lados, para o retrovisor, à frente e atrás. Tinha por vezes até a impressão de estar sendo seguido (e morando no Rio de Janeiro, me desculpem os cariocas, não duvido estar sendo mesmo, não por ninguém à mando, mas pela bandidagem de olho na minha moto e só) e aconteceu até de eu "deitar o cabelo" quando via piloto e garupa se aproximando de forma "esquisita". Talvez esse o lado bom da paranóia...

Depois mudei de moto, de marcas, me isolei um pouco. Comecei a andar em tudo que é tipo de moto que poderia, cheguei à conclusão que o mundo "custom" não mais me atraía, deixei o lado "jáspion" de lado - por onde tive passagem meteórica vendo que o conhecido tinha lá suas pontas de razão sobretudo quanto ao fator da tecnologia e velocidade que não leva longe sobre uma moto - amadureci, vi que discussões bobas não levam à lugar algum, sobretudo quando se trata de defender marcas, que, muitas vezes, não estão é nem aí pro consumidor, ainda mais brasileiro.

É claro que ainda tenho predileção por certas marcas e sobretudo modelos... Sonhos de consumo? Ainda presentes, é lógico! Neles uma BMW R80G/S.


A diferença é que atualmente eu gosto é de motos.

Mas que Harley Davidson prá mim só serve como peça prá peso de papel, isso é fato. He, he, he!!!

Quando se fala de motos, se fala de paixão. Jamais de razão...


quinta-feira, 9 de agosto de 2012

É você quem faz pequenas manutenções na moto?

Também em homenagem ao dia dos pais que se aproxima, repasso alguns conhecimentos dele,  os quais tem tudo a ver com motos!!!

Já disse sempre meu pai: "Se você não souber fazer, alguém vai saber...". Demorou algum tempo para que eu pudesse entender a "profundidade" das palavras de meu velho e sábio pai. 


Nesse meio tempo, desde cedo, colocou-me ferramentas à mão, e aprendi a usar desde uma chave inglesa à uma furadeira, lixadeira ou serra tico-tico. Quando era bem "piazito", meu passatempo predileto era ficar enfiando pregos em madeira. O "velho" reclamava que eu gastava todos os pregos dele, ao mesmo tempo que, no fundo, no fundo, ficava todo orgulhoso... Agora, é madeira? Deixa comigo! Precisa fixar um quadro, uma prateleira no concreto? Sou eu no DVD (e os manos só na fita...). Elétrica, hidráulica e até parede, se for preciso, eu mesmo levanto. Pode não ficar uma coisa "linda de morrer" (às vezes falta ferramenta específica, a cola apropriada ou a serra "ideal" e a gente faz como dá mesmo), mas resolvo o que é preciso.

Por conta de não ser ignorante e hoje compreender o que meu pai queria dizer, eu quase tenho um treco quando vejo anúncios do tipo "marido de aluguel". Marido de aluguel? Como assim? E o que isso tem a ver com motos???

Chegamos a um ponto de "especializações"  (ou de acomodação mesmo) que tem muito homem por aí  que não sabe trocar sequer uma lâmpada, uma resistência de chuveiro e ainda se defende dizendo que tem medo de levar choque ou que já trabalha o dia inteiro... "Então vou chamar um técnico!", grita de lá a mulher prá esses incompetentes, indignada - com absoluta razão - com a incapacidade do "traste" com o qual casou, que muitas vezes não se restringe apenas a falta de saber manusear as própias ferramentas. Se é que as tem... E quem tem ferramentas, deve saber usar.

"Prá bom entendedor, meia palavra basta!", também diz sempre meu pai. Assim, espero que vocês estejam entendendo toda profundidade do post. 

Pai que é pai de verdade, que ainda é o "macho alfa" dentro de casa e para sua família, sabe de cor e salteado o projeto de um bom carrinho de lomba (ou de rolimã, como conhecem outros o aludido brinquedo). Não é que nem uns que outros que ultimamente pululam por aí e assumem nomes esquisitos como "metrossexual" e do gênero. O bom pai trabalha o dia inteiro de sol à sol, bota o filho na "cacunda" ao final do dia, arruma o chuveiro em casa e ainda tem "pegada" com a esposa. Não precisa "provar sua masculinidade" fora de casa, pois sabe, acima de tudo, o quão importante é o respeito e um caráter descente. Assim, a "retribuição" é certa e o "marido de aluguel" fica completamente sem serviço dentro da sua casa...  Não passa nem perto de sua porta! Coisas como estas foram o que sempre aprendi com meu velho pai, que muito ainda me ensina volta e meia.

E a estas alturas você já está se revirando e quase gritando: MAS QUE RAIOS!!! O QUE ISSO TEM A VER COM MOTO!!!???

Meu caro... Entenda de uma vez por todas!

Se você não souber mexer na sua moto, fazer pequenas manutenções, me desculpe, mas tá na hora de aprender! Caso contrário, sempre vai ter alguém que sabe fazer. E depois não reclame se lhe cobraram os tubos na concessionária para trocar uma simples lâmpada que você compraria na esquina por menos de "dérreau" e trocaria em menos de dez minutos. 

É claro que não estou dizendo que você tem de aprender tudo de mecânica de motos e desmontar a metade dela (como é muito comum fazerem lá pros lados da europa, talvez até porque a mão de obra é produto mais caro ainda) para se considerar útil, mas trocar as pastilhas de freio, o óleo e os filtros, a câmara de ar, poxa, convenhamos!!! Isso é o mínimo que você tem de saber fazer! E não me venha com a desculpa prá lá de furada que você não tem tempo ou não tem espaço no prédio! Se tem moto, é porque tem garagem, prá onde dá prá levar as ferramentas e aprender a tratar bem da "amada". Ou você conhece até "pelada" a sua moto ou vai ter que recorrer a quem conheça...

Sei lá! De minha parte, não entrego a motoca na mão de qualquer mané. Posso até chegar mais tarde no serviço, mas quem trocou as pastilhas de freio da minha moto hoje fui eu, com muito orgulho! Da mesma forma que não contrato "marido de aluguel". A minha esposa, graças à Deus e aos ensinamentos de meu pai, não precisa disso. Nem nunca vai precisar enquanto eu tiver minha "caixa de ferramentas" às ordens dela e for vivo. 

De igual forma minhas motos para os pequenos reparos, me desculpem os mecânicos de profissão e concessionárias.  

Lá em casa, o "macho alfa" sou eu. Meu filho me chama de "pai", minha esposa de "marido" (ou denominação carinhosa impublicável aqui) e a minha moto sabe muito bem quem manda nela!

Afinal, sou eu quem carrega o guri na cacunda, conserta tudo em casa e depois desfruta das curvas...


Feliz dia dos pais à todos, casamento e manutenção - inclusive da moto - sempre a mil!

Até o próximo post!!!

Crédito das fotos:
1ª - site Groupon: http://www.groupon.com.br/ofertas/sao-paulo---premium/marido-service/4626022
2ª - blog da internet: http://joamaral.blogspot.com.br/2010/03/carrinho-de-lomba.html
3ª - site www.advrider.com

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

KTM também - como a Triumph - finalmente livre do Grupo Izzo!

Corre à boca pequena...
Fontes fidedignas nos confirmam que já foi formalizada judicialmente a “separação” KTM x Izzo.
Quem passou por uma das lojas "KTM" do grupo nos últimos dias, pode verificar que a notícia via "rádio peão" tem tudo para ser verdade. Diz-se, inclusive, que já se esgotou o prazo do ex-representante (que não se manifestou) para retirar os letreiros KTM das lojas no Brasil, o que ainda não cumpriu em todas.
As fontes informam ainda que "Nenhuma moto será vendida pela KTM este ano, exceto as off road (trilha) nos modelos que já estão divulgados no próprio site da KTM internacional no link “Brazil”. Em 2013 a KTM já venderá diretamente os seus modelos on road (incluindo Adventure) por aqui, mas ela não comercializará modelos on road em 2012.".
Acredita-se que em pouco tempo haverão novas informações no site da KTM do Brasil sobre credenciados para manutenção e peças. Por hora, o endereço em Vinhedo que consta no site da KTM Internacional referente ao Brasil é do escritório da KTM Áustria e ainda não podem passar maiores informações.
Tudo indica que finalmente mais um pesadelo acabou.
Agora é torcer prá KTM "oficial" vir o quanto antes. Pois mercado é o que não falta em nosso país, onde mais se vende Big Trails graças à nossas excelentes estradas asfaltesburacadas. 

Só falta a Ducati. Que até onde se sabe, também não está na mão do grupo. 

Já vai tarde...

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Os 3 segundos fatais de "bobeira" em uma moto...

Quem me conhece sabe que, como todo bom brasileiro (feliz ou infelizmente) tenho também meus "chavões", sendo um de meus favoritos "Cadum, cadum"...

Pois é... Cada um, cada um, é certo, mas existem certas práticas sobre uma moto com as quais não concordo e nunca vou conseguir engolir. Entre elas está "viajar" (mentalmente falando) quando pilotando, e pior ainda, pilotando e escutando música com fones de ouvido principalmente no trânsito caótico das grandes cidades (se estiver mascando chiclete também, então estará como o diabo gosta...). São justamente sobre estes segundos de desatenção que vamos neste post falar. 



Isto me ocorreu ontem, quando na hora do "rush" de final de dia estava eu no corredor, a 60km/h. Por 3 segundos "viajei no patê", e fui para lá no meio dos andes, sonhando com um "cordero fueguino" e vinho "nacional" com a esposa e o filhote brincando na neve. Um carro à frente deu seta, e nesse instante vi o "motoboy" à frente (que obviamente ia muito mais rápido que eu) desviar de forma brusca. "Chamei" nos freios (ambos) e literalmente chutei a marcha para baixo (coisas de quem não tem ABS na moto), enfiando-me entre um carro e outro na fila à direita.

Logo pensei, aterrisando: "O que estou fazendo???"

Foram meus 3 segundos de bobeira, por sorte não fatais. 

Resolvi por alertar-lhes: bobeira em cima da moto? Podem ser os 3 segundos fatais, ou finais. 

Sua mãe já lhe dizia - ou seu pai - o quanto moto é perigoso. Tanto quanto uma arma, costumo dizer. É óbvio que armas não são perigosas! Perigosas são as pessoas, é você e é eu. Se você tem uma arma em casa, é evidente que não irá deixá-la sobre o criado mudo ou ali mantendo-a, não vai ao menos travá-la à cadeado (com uma corrente e a chave ao pescoço). Igualmente se tem além da arma criança em casa, não vai ficar exibindo seu "berro" ao infante, mostrando-a orgulhoso... Ou você é do tipo que sai mostrando suas partes íntimas na rua? Evidente que não, né? Então, se o faz, é minimamente estúpido ou tarado.  Em qualquer dos casos você deveria estar preso, para não ter contato com a sociedade dita "normal".São por causa destes estúpidos que crianças levam armas para as escolas, mostram o que o pai tem pro amiguinho e as tragédias acontecem. 

Com motos, carros, e outros veículos é a mesma coisa. Filho pequeno? Vai deixar a chave à vista e ao alcance? Prá quê? Para dar sorte ao azar e à oportunida? Está distraído? Vai pilotar? Prá quê? Para dar sorte ao azar e à oportunidade? 

Olhe pros lados... Quantos "animais" dirigindo e falando ao celular, outros até lendo ou completamente no mundo da lua, sem falar aqueles que compraram a carteira, somado aos "motoloucos" que lhe cortam a frente e deixam o trânsito ainda mais caótico aumentando a raiva dos motoristas (com absoluta razão eu diria) contra a espécie que se locomove sobre duas rodas estão lhe cercando por todos os lados? Vendo essa cena você acha que ainda assim tem direito a ter seus 3 minutos de bobeira? Lamento lhe informar que não. 

No trânsito você tem de cuidar de você (você está se sentindo bem? Está atento? Está confortável? Como está seu humor?), da sua moto (ela está se sentindo bem? Está respondendo a todos os comandos? O motor está com "o som correto"? Ela parece estar se sentindo "confortável" ou você sente que tem alguma coisa errada com ela?) e o que é mil vezes pior: dos outros.  E nessa última categoria entra toda espécie de animais, entre eles humanos (ou capivaras ao volante), quadrúpedes (carroças, cachorros perdidos, burros, etc.) e pássaros (gralhas ao celular, urubús, pipas e cerol, etc.).

Desculpe informar, mas você não tem o mínimo direito à bobeira. Os 3 segundos de bobeira em uma moto podem ser fatais e mudar sua vida - ou acabar com ela - para sempre. Então, deixe a bobeira para quando estiver na frente da TV, assistindo um daqueles seus DVD's de moto. No trânsito, na estrada e/ou sempre que você ligar o motor da moto, atenção máxima ao que você está fazendo é mandatório. 

Não limpe a arma carregada e use sempre o tal de filtro solar. 

Longa vida aos motociclistas de plantão!

Amém. 


Até mais!!!


Crédito das fotos:
1a. Fórum "Pequenas Notáveis"
2a. site "Novo Tempo"