RECEBA AS NOVIDADES DO BLOG EM PRIMEIRA MÃO!

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Dia do Motociclista? Tá... E daí? E daí que...

E daí que no dia dos pais a gente lembra dos pais... No das mães a gente lembra das mães... No Natal, de Jesus, se for católico, é óbvio. Pois se for budista ou de outra religião, provavelmente nem faça muito sentido a data... No dia das crianças a gente lembra das crianças, especialmente se tem um pimpolho como tenho (e os pais sempre lembram dos filhos "pitoquinhos", ao menos até os 30 e poucos anos dos mesmos, quando geralmente nos dão netos...).  Quando é o dia da nossa profissão - ex.: eu sou advogado - a gente lembra... Que dia é mesmo que se comemora o dia do advogado??? Mas e no dia do motociclista? A gente lembra de quem?

Bom... Aí...

A gente lembra dos nossos amigos que eram motociclistas e já "partiram" para "outro plano".
A gente lembra dos nossos amigos motociclistas que volta e meia encontramos para falar sobre algo super diferente: motos.
A gente lembra de alguns e de todos inúmeros encontros que fomos.
A gente lembra das viagens que fizemos, os lugares que visitamos, os cheiros que sentimos nas estradas.
A gente lembra dos "perrengues" que passou, ri das vezes em que tivemos "pane seca", ou que a moto estragou no meio do nada, aparentemente sem razão alguma (e depois, sem precisar de mecânico ou não entendendo bulhufas de manutenção, a gente sempre descobre sozinho o que era).
A gente lembra daquela estradinha bucólica, daquela trilha teoricamente no meio do nada que dava em lugar nenhum, mas que fez a gente se sentir o "desbravador do desconhecido", ainda que até de CG tivesse gente passando. 
A gente lembra da esposa, agarradinha na gente, durante horas e horas à fio, parceira mesmo embaixo de chuva.
A gente lembra daquela nossa viagem "solo", do frio de rachar, do tombão e do "terreno que comprou".
A gente lembra do sol batendo forte na viseira, da vez que andamos na estrada só de calção e camiseta.
A gente lembra daquela tempestade que atravessamos, vendo os raios caindo no horizonte (e você jurando que caiu ali, na sua frente! E às vezes acontece mesmo!), da neve que atravessamos nos andes, do chocolate quente que sorvemos na sequência (eu e a esposa lembramos é das cervejadas!!! He, he, he!!!).
A gente lembra que fazem "x" anos que andamos de moto.
A gente lembra as motos que já tivemos, com o lembrete que aqueles metidos a "namoradores" são geralmente incapazes de lembrar o nome de todas namoradas que já tiveram, mas quanto as motos, por mais que tenham tido das mais variadas, lembram uma por uma em todos detalhes: a cilindrada, a cor, o ano, com quantos quilômetros compraram, com quantos venderam e, se bobear, até mesmo a placa.
A gente lembra enfim...
A gente lembra que a gente é motociclista, e aí, a gente lembra DA GENTE, de nós mesmos!!!

Hoje se comemora o dia do motociclista! Dia 27 de julho...

Hoje a gente comemora o dia da gente!!!

Então, parabéns para todos nós!!!

E que Deus, Buda, "Aláh", a "Energia do Universo" ou seja lá no que acreditemos, nos permitam que possamos comemorar esse dia pelas próximas décadas, sempre em cima de uma moto!

Porque motos... Ah as motos!!! É um vício, uma loucura ou o que o valha do qual nenhum  verdadeiro motociclista quererá jamais se curar! 

Graças à Deus!!!

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Como alcançar os pés no chão em uma moto alta - problemas e soluções

Dia desses amigo me ligou perguntando o que poderia fazer, haja vista que queria trocar sua F650GS (twin) por uma F800GS, mas que tinha "só" 170cm de altura, o que lhe levaria a não alcançar os pés no chão. Fato: a altura do banco da BMW F800GS dista há 880mm do solo, enquanto da F650GS (twin), há apenas 780mm, um total de 100mm (10cm) que farão TODA diferença para meu amigo. Isso significa firmar os pés ao solo ou ficar "nas tintinhas dus pizinhos" (leia-se: nas pontinhas dos pezinhos) como diz meu filho cantarolando música infantil...

Então, num "lapso de memória" (leia-se: momento "espírito de porco"), pensei em indicar-lhe uma Harley Davidson, já que lhe recomendar nascer de novo estava fora de cogitação (sob pena de perder o amigo), até porque, no mais, seria "o manco falando mal do aleijado"...

Será que meu amigo, você e EU MESMO, porque não somos tão altos estamos fadado a uma custom, que nas estradas brasileiras não é nem um pouco apropriada a enfrentar a buraqueira? 


Custom não! Ninguém merece isso!!!

A grande sorte é que, para medianos, soluções existem para todos os gostos, e podemos nos "adaptar" à grande maioria das motos. Não ficamos como gorilas e motos menores e nas maiores, ficam parecendo imensas!

A Touratech, só a título de exemplo, tem um excelente kit, capaz de baixar a suspensão em 50mm (5 cm) a F800GS.


Já a própria BMW, para a F800GS, tem o banco baixo, que possibilita ainda reduzir a distância deste ao solo em mais 30mm (3cm). Utilizando ambos, já temos, portanto, menos 80mm, muito próximo aos 100mm necessários para meu amigo se sentir confortavelmente seguro. Os 20mm que "faltam", podem ser facilmente obtidos com uma bota de solado um pouco mais grosso. 

Mas... Será que tudo são flores? É simples assim? Você "rebaixa" a suspensão da moto e pronto? Altera as características dela e era isso? 

Obviamente que não!

Quando você "abaixa" a suspensão, se na melhor das hipóteses optar por um conjunto da hyper pro, o mínimo prejuízo que vai ter será aproximar o cárter em 50mm do solo. Não existe solução mágica. Além disso, você acaba de reduzir o curso da suspensão de originais 230mm e 215mm respectivamente (dianteira e traseira), para 180mm e 165mm respectivamente, o que pode ser muito pouco em uma situação off road. Ainda que as molas da hiper pro teoricamente sejam mais rígidas ao final de curso, a probabilidade de você encontrar o final do curso é infinitamente maior. O problema disso? Você forçar, estressar o material precocemente, e arrebentar com a suspensão ou com o próprio chasis da moto, no local onde se encaixa com a suspensão. Solução? Depende... No meio do mato, pode ser muiiiiitoooooo complicada, ou quase impossível.

Mas aí você pode rebater dizendo que não vai fazer muito off road mesmo e que, então, a probabilidade de você ter uma quebra dessas é ínfima. Tá bom... E a buraqueira de nossas estradas? Como fica? Não é quase um off road?

Sem falar que se você está em uma big trail, volta e meia vai querer pegar uma estradinha mais "casca", onde a probabilidade de uma pedra no meio do caminho é bem maior.

Como se não bastasse, existem outras motos em que simplesmente não existe ainda kit (até onde sei...) para rebaixar a suspensão, e, mesmo que venha a existir, fazê-lo é o mesmo que acabar com as características básicas da moto! Veja o exemplo da G650GS Sertão. O banco da mesma fica há absurdos 860mm do solo, altura para baixinho nenhum botar defeito. Rebaixar uma suspensão de uma moto monocilíndrica, com aptidões claras à um bom off road? Loucura. Quase o mesmo que querer transformar um Porsche em um buggy de praia. Sim... Porque a F800GS ainda é uma moto boa para utilizar no asfalto, com motor de sobra para uma velocidade de cruzeiro decente, sem muita dor de cabeça. Mas uma monocilíndrica como a Sertão, se dá muito melhor no off road, motivo pelo qual melhor deixá-la em seu "lugar de origem", onde mais ela mostra à que veio. Retirar suas melhores características é quase o mesmo que querer "capar" um búfalo selvagem, algo que não faz sentido algum.

Enfim, para todo bônus, um ônus. Ou seria o contrário?

Para meu amigo, só uma solução: CORAGEM!!!


segunda-feira, 2 de julho de 2012

Nova F800GS e "F650GS" (leia-se F700GS)

Quando escrevi em maio deste ano sobre a Triumph Tiger, disse que a BMW teria de suar a camisa para manter a liderança da F800GS. Lembram? 


Tudo indica que o grupo bávaro fez o dever de casa. 

E bem, só para variar!


É assim que a BMW gosta de olhar sempre a concorrência. "Por cima do ombro", do tipo, "vai vir ou tá difícil?". 

Tento com todas minhas forças gostar um pouco menos da BMW, achar defeitos para ela (fora o preço, lógico, que faz com que eu odeie de morte a "mazela brasileira" chamada impostos extorsivos), mas confesso que cada dia isso se torna mais difícil, ainda mais quando vem com essas novidades. E olhem que sou o primeiro a idolatrar "velharias", como uma "boa" R80GS.

Mas ESA numa F800GS?

Fala sério!!!!!

Quem já andou numa BMW com ESA, sabe que o sisteminha é "o que há". Alguns dizem ser bobagem, modernidade demais, mais um item para estragar., coisa que serve só para encarecer mais ainda a moto e justificar a diferença de preço que deverá apresentar para o modelo anterior da F800GS... Eu, porém, que já tive uma R1200GS Adventure com ESA, não posso ficar quieto e tenho de relatar que  se andar numa Adventure é como viajar de boeing em céu de brigadeiro, pilotar uma F800GS com um ESA sem dúvida alguma deve ser como estar num jatinho executivo. Particular, é óbvio! Sendo que a aeromoça é você quem escolhe e, se você quiser, vai agarradinha na sua garupa! Eu já tenho a minha, claro, que não troco (esposa, não moto!!! A moto eu troco!!!)...

E a alemoada não pára por aí!

Nunca parece bom o bastante!!! Reclamações quanto a altura da moto? Tá bom! Tome banco baixo e um kit de fábrica, prá quem quiser, para rebaixar a suspensão. Lembrando que o conjunto ESA pode "levantar" mais a moto ou abaixá-la (embora não seja essa a função do sistema e nem deva ser utilizado com tal finalidade).

"Tá bom prá tu, mano?" (fico imaginando um alemão daqueles "batata" falando isso...)

Que nada!

Dá-lhe controle de tração! Tão de brincadeira... Só pode!!!

Acabou? 

Na, na, ni, na, não!!!

Ainda tem a F700GS (ex F650GS), uma "G650GS twin". Que claro, não deve vir prá cá pelas vias normais. Mas se você pedir, a concessionária traz prá você. Mais uma opção. Só prá variar (e bota variar nisso!!!). Provavelmente ainda mais baixa que a F800GS "rebaixada", prá baixinho nenhum botar defeito ou "se sentir diminuído", com o perdão do trocadilho infame. Nos "altos" de meus pouco mais do que 170cm de altura, com muito orgulho, eu que o diga a diferença que essa opção a mais pode significar...
Palmas para a BMW, de novo e de novo. Hei, baixinhos aí do fundo da platéia!!! Vale ficar em pé para aplaudir ou até subir na cadeira, viu? A BMW finalmente nos enxergou! Louros e mais louros...

Vá lá que o desempenho não deve ter mudado praticamente nada (embora um controle de tração e ajuste de suspensão eletrônico mude sensivelmente MUITO mais coisa do que sua vã filosofia imagine!) e que mais se vê "por fora" alterações em plásticos e cores (será que vai vir só no "verde exército" ou isso seria champagne? E a cor azul? Será que vai ser "azul-acho-que-cheguei-no-céu"? Como será que vão chamar tal cor?), aliás estes reduzidos como tem de ser numa boa "big trail", mas que tô sentindo que haverá de um lado choro e ranger de dentes enquanto do outro lado aplausos incontidos, disso eu já não tenho muitas dúvidas...

E daí, Triumph? Sentiu a "pressão"? 


Se tinha, agora não tenho mais dúvidas: tá aí minha próxima(s) moto (s). 

E você? Vai encarar???