RECEBA AS NOVIDADES DO BLOG EM PRIMEIRA MÃO!

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Longas viagens de moto. Você está pronto? - parte 10

Em nosso último ponto acerca do assunto em tela, falamos da preparação psicológica necessária para uma longa viagem de moto.


Terminamos aquele post com uma pitada acerca da recomendação de haver também uma preparação física para enfrentar longos trajetos. 

O interessante foi constatar que só a menção das palavras "preparação física" já foi suficiente para gerar certo desconforto em alguns leitores...


Talvez porque quando se pensa em uma longa viagem de moto, o último item da lista é a preparação física.... Até porque, afinal, que raios de "preparação física" seria recomendável ou efetivamente necessária para uma longa viagem de moto? E, principalmente, porque é necessária ou recomendável? 


Biotipo e "mototipo"

Gordo, magro, "atarracado" ou tamanho armário? Qual é seu biotipo? 

E por conta de seu biotipo, qual deve ser o "mototipo"? Ou seja, como deve ser a sua moto de acordo com seu porte físico? 

O que não serve é o exemplo da foto acima. Uma pessoa extremamente obesa, não deve querer pilotar uma moto pequena, assim como um baixinho, deve fugir das mais altas. Lógico que isso não é verdade absoluta quanto aos últimos, estando aí por exemplo Jean Azevedo, o qual está longe de ser alto. 

Mas mesmo o caso do piloto cidado é exceção, e não deve ser levado como comparativo, simplesmente porque ele não tem de pilotar sua moto de rally no meio dos carros em uma cidade, parar na sinaleira, alcançar os pés no chão à toda hora.

Outras soluções como encurtar suspensões, baixar bancos retirando espuma, ou calçar os pés em botas de solado mais grosso, são paliativos, mas não efetivas soluções. Isto porque ao rebaixar uma suspensão e encurtar-lhe o curso, você estará mexendo não só na ciclística da moto, como também tirando justamente o que a moto tem de bom: uma suspensão eficiente e uma distância considerável do solo. Igualmente quanto a bancos, que só são rebaixados, em princípio, com a retirada de um tanto de espuma. Resultado: menor conforto e prejuízo sobretudo nas longas viagens. Por fim, solados mais grossos podem parecer ótimos, mas farão com que a probabilidade de você ter uma torção de tornozelo suba de forma geométrica.

Então, se você tem baixa estatura, aproveite as motos que existem para seu biotipo. Se é alto, também tem uma infinidade de motos à disposição! Respeite não só seu biotipo, mas também seu mototipo.

Além disso, recomendável ter a força necessária para segurar a moto...

Como assim?
 

Exercícios específicos de força muscular e alongamento

A foto infra é um extremo. É lógico que você não irá - em tese - precisar colocar a moto sobre a cabeça e carregá-la de cá pra lá!Mas isso não quer dizer, igualmente, que um mínimo de força muscular e maneabilidade não é muito bem vindo!


Porquê?

Você já reparou em atletas? Verificou o que acontece quando eles se lesionam? Normalmente levam algumas semanas para reabilitarem-se e voltarem novamente com tudo ao esporte, em situações que deixariam qualquer outro ser humano "normal" fora da atividade para sempre! Se você tivesse aquela queda do Valentino Rossi, aquela fratura, dificilmente voltaria a andar de moto sem nenhuma sequela, sem uma dor no local lesionado ou menos mobilidade. 

E porque isso ocorre? 

Simples! Porque o corpo está preparado!!!

Fora os casos de "sorte" em acidentes graves, já tive vários amigos que se acidentaram e que sofreram consequências igualmente graves, geralmente de quebra de ossos como perna, braço, costelas, etc. O que observei, de modo geral, foi que pessoas mais bem preparadas fisicamente, aquelas que praticavam algum tipo de esporte regular, tiveram menores sequelas ou quase não as tiveram. Creiam quando lhes digo: os que praticavam atividade física regular, tiveram uma recuperação que levou MENOS da METADE do tempo que aqueles que levavam vida ociosa em termos de atividade física! Além disso, dos que não praticavam atividade física alguma, TODOS tiveram algum tipo de complicação pós-traumática como encurtamento de membros, calcificação indevida, perda de mobilidade total ou parcial, etc.

Dos que tiveram apenas escoriações, incrivelmente aqueles que faziam atividade física e por consequência melhor se alimentavam, observaram cicatrização e desaparecimento de hematomas de forma muito mais rápica (metade do tempo ou menos!) do que aqueles que nenhuma atividade faziam e que se alimentavam mal.

Se isso tudo por si só não lhe diz nada...

Você é um piloto de moto. Enfie isso de uma vez por todas na cabeça! Se você fosse um motorista de carro, eu não falaria nada no sentido de força muscular, atividade física e exercícios de alongamento, pois você estaria esparramado no banco do motorista, e tanto faria se você fosse gordo ou magro, alto ou baixo, tivesse bom alongamento ou fosse imóvel como um boi na canga.

Em contrapartida, eu não estou dizendo que só porque você é gordo não tem condições de percorrer longas distâncias com sucesso, e tampouco estou a referir que se magro demais vai conseguir vencer maior distância que seu amigo obeso. 

Estamos falando de proporção, de risco, de probablidades!

Ora! Se você cuida da sua moto, se dá à ela manutenção, bom combustível, porque raios você acha que não deve tratar a principal máquina nessa viagem - VOCÊ - de forma igualmente decente? 

Começe já uma academia se você pretende fazer uma longa viagem de moto. Foque em exercícios de resistência muscular e força de braços e pernas (será muito mais fácil de levantar a moto em um caso de queda desta), abdômem e costas (lhe proporcionará incrível maior conforto, menos dor nas costas e possibilidade de percorrer maior distância sem dor ao final do dia), alongamento geral de membros e pescoço (carregar um "leve" capacete de "misero" quilo e meio ao longo de um dia inteiro, será bem mais doloroso se você não estiver preparado!).

Professores de educação física sabem EXATAMENTE o tipo de exercício que você precisa. Se você pegar um preparador físico então, estará com o pacote completo para grande sucesso em uma longa viagem de moto...

Se você ainda assim acha que tido isso é balela, finalmente, porcure e quando encontrar me mostre, uma pessoa totalmente fora de forma e/ou com obesidade mórbida que é efetivamente um "vira-mundo". Não há! Nem perca seu tempo procurando. 


Você é o que você come

Nada mais certo do que essa afirmativa. Sem falar que para uma grande viagem de moto, se torna mais necessário ainda manter uma alimentação saudável. É ela que irá lhe proporcionar mais disposição em lugar de sono e sensação de peso. 
 
Qualquer alimento com base em carnes gordas durante longas viagens, deve ser evitada a todo custo, minimamente ao menos enquanto na estrada. Esqueça, neste ponto, restaurantes do tipo "espeto corrido" e "serve-serve", ao menos que você pretenda tirar uma longa soneca na sequência e ganhar horas e vários quilômetros na estrada. 

Igualmente, cafés da manhã muito pesados, farão você se sentir um tanto indisposto, até mesmo porque a posição na moto, seja ela qual for, não é a melhor em termos de auxiliar na digestão. Opte, portanto, por cafés leves, compostos de apenas uma batida de frutas e/ou uma fruta, uma fatia de pão e uma xícara de café, se você ainda é do tipo mais "guloso".

Dependendo ainda da sua dieta alimentar, será também o tipo de constituição física que você irá ter. Se você mais consome hambúrquer e lixo industrializado, não vai ter múscilos muito melhores do que da foto acima, trazendo prejuízos para a sua pilotagem. 

Neste ponto, um bom nutricionista, aliado ao seu preparador físico ou quem lhe auxilia na academia, poderá lhe dar a melhor dica quanto a dietas específias para a atividade que você pretende desenvolver (pilotar sua moto por centenas de milhares de quilômetros).

E a partir daí é só traçar o roteiro e seguir em frente. 

Mas isso já é o assunto de nosso próximo post. 

Até lá!

Crédito das fotos:
1a., 2a., 3a. e 4a. - google images