RECEBA AS NOVIDADES DO BLOG EM PRIMEIRA MÃO!

terça-feira, 29 de maio de 2012

Os sonhos, a internet e as motos. Ou as motos, os sonhos e a internet..

Nunca tive muita vontade de visitar os Estados Unidos...

É que na verdade, sou fã mesmo é do mundo, não de lugar específico. Claro que a África é caso à parte, porque todos sabem que o início de tudo se deu na África, pelo que todos somos um pouco africanos, por mais que caucasianos insistam nada ter do sangue negro. 
Mas uma coisa é inconteste! Americanos gastam verdadeiras fortunas em imóveis, pelo que não podemos dizer que não sabem morar. Muito pelo contrário, daí, inclusive, a crise recente do subprime...

Por lá existem casas que são simplesmente de sonhos. Vejam isso: 


Um atentado à ecologia, diriam uns mais ruidosos, achando tudo desperdício de madeira...

Mas convenhamos... Madeira é madeira:


Assim como casa é casa e apartamento é apartamento.

Sei lá... Talvez pela espera infindável para que minha casa fique pronta, acabe viajando pela internet, vendo casas, roteiros, lugares. 

Hoje entendo como muito mais "sustentável" ambientalmente uma casa do que um apartamento, onde se empilham pessoas e se torna, por reflexo, o trânsito caótico. Concentra-se a população em grandes centros urbanos; espremem-se as pessoas em apartamentos de menos de 100m2, e insistem para que elas achem esse o melhor lugar do mundo (afinal, é o seu lar, certo?), sem avisar que pela metade do valor poderiam ter uma casa confortável, mais afastado do trabalho, claro (não há bônus sem ônus); colocam-se os escritórios, por alguma razão incompreensível, no centro das capitais; tudo em prol do desenvolvimento, da tecnologia, do "conforto" e da "segurança". Conforto? Segurança? Como assim? E eu fico me perguntando onde tudo isso há de nos levar... 

Mas, e o que isso tem a ver com motos? 

Não sou "ecochato", muito pelo contrário, aplaudo a evolução tecnológica (ainda que por vezes prefira um bom carburador do que um "sensível" Can Bus ou outra parafernália eletrônica "imexível"), mas já estou chegando no ponto em que não consigo ver a evolução sem um tanto de "involução".


Não consigo, hoje, me imaginar mais morando em um apartamento, enfurnado lá pelo 4º ou 5º andar, como era outrora. Não consigo, sobretudo, imaginar minha esposa e meu filho numa situação dessas! Creio que se morássemos ainda em apartamento, teríamos enlouquecido à estas alturas.

Mas e o que isso tudo tem a ver com motos!!!????

"The Motorcyclist Cafe" é um lugar "virtual" que se tornou real por conta do "sonho" de Pam e Dean, um casal de motociclistas já beirando (ou na) "terceira idade". É um forum que hoje reúne quase 500 associados, e que nos brinda volta e meia com fotos da sua evolução, quando muitos a essa altura da vida já pensariam em se internar em uma "casa de repouso". Dean constrói muitos dos lugares em que recebe motociclistas do mundo todo com suas próprias mãos, usando essencialmente a madeira como material construtivo.Vejam:


E o forum do "Cafe Barn" de onde foram retiradas as imagens desse post:

http://www.motorcyclistcafe.com/forums/showthread.php?12120-A-new-Adventure-for-Pam-and-Dean&p=139416#post139416

Caras assim, para mim, são verdadeiros visionários. Para outros, claro, mero sonhadores.

MAS O QUE TUDO ISSO TEM A VER COM MOTOS?

Moto é sonho. Moto é visão. É pensar adiante. Um motociclista que se preze, não pensa apenas no hoje. Pensa também no amanhã, não só nas viagens que já fez até aqui, mas nas que ainda fará.


Dean e Pam tem tudo a ver com motos. "The Motorcyclist Cafe" também.

Tem um sonho? Corra atrás! Pois no final das contas, se você é um motociclista, certamente SEU SONHO TEM TUDO A VER COM MOTOS!!!

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Longas viagens de moto. Você está pronto? - parte 09

Na útima parte, falamos da arrumação da bagagem em geral, deixando parecer que tudo está pronto:

http://aekmotoadventures.blogspot.com.br/2012/05/longas-viagens-de-moto-voce-esta-pronto_16.html

Porém, como dissemos ao final, às vezes parece que mesmo com tudo, faltou algo... Será? O que pode ser?



Partir ou não partir, eis a questão!

Acho que um ícone quando se fala em aventura, é o navegador Amyr Klink, e uma de suas frases, quando estou na dúvida entre ir ou não, sempre retumba na minha mente:


"Um dia é preciso parar de sonhar e, de algum modo, partir"

Sim! Esse é o principal fator! Partir!!!


Para tanto, antes de mais nada, é importante que você tenha uma data agendada e, salvo imprevisto inadiável (ex.: perda de passaporte, de algum outro documento seu ou da moto que tem de tirar novamente ou a sua própria morte), não existe nenhuma desculpa para que você adie a partida, sob pena de fazê-lo amanhã novamente e assim sucessivamente. 

Chega uma hora que você simplesmente tem de passar a chave na porta de casa, ligar o alarme, deixar um parente encarregado das contas, um procurador ou coisa que o valha ou, sei lá, vender tudo e ir em busca de seus sonhos.  

Desculpas como falta de roupa específica, capacete ou luvas apertadas não são desculpa válida, pois você deveria ter providenciado isso antes, e, se não o fez, foi para arrumar uma desculpa para adiar a partida, pelo que você deve partir até como penitência... Igualmente, gripes e resfriados, são desculpas esfarrapadas, pois, ao menos que você esteja com uma pneumonia, vai se curar mais rápido com o ar da estrada! Aposto 10 contra 1 quanto a isso!!! Da mesma forma, uma dor de barriga não justifica atraso por mais de meia hora, já que é natural tal indisposição - por medo do desconhecido - sobretudo para aqueles mais inexperientes em longas viagens de moto. 

Cada hora a mais dentro de casa, são 100km à menos que você poderia estar comendo o asfalto, aproveitando a vida! Portanto, levante do sofá, cancele a tv à cabo e parta para a estrada!!!

Está com "medo" ainda? Porque? Como está a sua mente? Inquieta? 
 

A preparação psicológica 

Assim como para um jogo de futebol profissional, é necessário que para uma grande viagem você faça algum tipo de preparação psicológica. Rodar mais de 10.000km não é o mesmo que ir na esquina comprar pão e voltar. Você tem de estar fisica e mentalmente preparado. 

É preciso libertar-se dos medos, e não confundir este com pressentimentos, coisa que é muito comum aos motociclistas.

Logicamente, quanto melhor você estiver preparado em se tratando de equipamentos e bagagem, conhecer o roteiro que irá percorrer, ler algo acerca dos países que deve visitar, saber que climas irá enfrentar, comidas que poderá experimentar, restrições alimentares que acaso tiver, melhor preparado estará igualmente em termos psicológicos.

Uma preparação psicológica compreende tanto antes quanto o durante e o depois. O imediatamente antes de partir é, sem dúvida, o ponto mais importante. É onde você tem de controlar a ansiedade e toda aquela descarga de adrenalina, pois é comprovado que a maioria dos acidentes acontecem nos 10 primeiros mitutos imediatamente depois de você sair de casa ou nos 10 imediatamente antes de chegar ao destino. E porquê disso? Sobretudo a ansiedade e a pressa de partir ou de chegar explica muito bem estes números cabalísticos.  

Quando você parte, tem de partir não imaginando nos milhares de quilômetros que irá percorrer, mas sim cortar a viagem em etapas. Poderá, assim, no máximo ficar ansioso para chegar à proxima cidade, e não ao final da sua viagem. Até porque o que realmente importa em uma grande viagem é a viagem em si, não a chegada. Dessa forma, se você parte de Porto Alegre para Ushuaia, deve pensar primeiro em aportar no Chuí-RS/BR, deixando Ushuaia/AR para preocupação bem mais adiante. Atualmente, por exemplo, eu mesmo vejo que minhas longas viagens teriam sido muito mais tranquilas se eu tivesse me preocupado primeiro não em chegar até o fim-do-mundo, mas primeiro até a próxima fronteira, coisa que eu definitivamente nunca vislumbrava quando não tinha a experiência necessária. Até porque nunca ninguém me falou - ou li - sobre isso!

Durante a viagem você vai precisar ter sobretudo muita paciência... São fronteiras a enfrentar; muitas vezes policiais corruptos nas estradas lhe exigindo propina (geralmente para justificar ou "deixar prá lá" alguma infração que você tem absoluta certeza que NÃO cometeu); panes inesperadas na moto; hotéis cheios em localidades maiores, sobretudo feriados prolongados e com certeza nos momentos em que você estiver mais cansado; gasolina ruim em alguns postos, que fazem sua moto começar a falhar perigosamente; acomodações prá lá de precárias em lugares mais remotos; etc.

Por conta disso, pessoas "esquentadas" não se daráo bem em longas viagens de moto, sendo preferível tratarem antes de tal questão, junto a um psicólogo e/ou terapeuta. A pior coisa que existe é partir para uma longa viagem de "cabeça quente", achando que a viagem lhe ajudará a esfriar as idéias. Muito pelo contrário! Você tem de partir, portanto, já tranquilo com a vida, se quiser tranquilidade durante a viagem.

Regra fundamental, inclusive, que vale não só para as grandes viagens e que devo repetir à exaustão: NUNCA PILOTE DE "CABEÇA QUENTE"!!! 


Tudo está realmente pronto?

Contas...

Talvez este seja um dos fatores determinantes a atrasar longas viagens, atrasar partidas.

Como você tem de pagar mensalmente uma série de contas, muitas vezes fica difícil "abandonar" tudo por longos meses, sem que juros por falta de pagamentos lhe peguem. Contudo, com um pouco de organização, até esse dissabor pode passar tranquilo.

Quando for sair para longas viagens, procure ter uma boa conta poupança, utulizar não mais do que um banco para gerir suas contas e ter um bom relacionamento com o gerente. Procure-o, para deixar agendados todos os seus pagamentos, autorizando débitos em conta corrente de seus gastos mensais principais, como contas de água e luz, aluguel, iptu, etc. Também converse com o gerente para lhe esclarecer que você utilizará seu cartão de crédito em localidades diversas, pois muitas vezes, por uma questão de segurança, operadoras de cartão de crédito podem bloquear sua conta quando verificam que o cartão está "se deslocando", pois podem atribuir isso ao roubo ou furto do seu cartão e utilização indevida do mesmo. Alertar o gerente de contas, por outro lado, lhe livra desta dor de cabeças.

Pense sobre quais são e organize todas as suas contas. Deixe uma autorização por escrito com seu gerente quanto as contas que podem ser pagas, inclusive fatura do cartão de crédito. O banco onde você recebe seu salário ou aposentadoria preferencialmente tem de ser o mesmo que você reunirá todas as suas contas e cartão de crédito. Desta forma será mais fácil autorizar determinado pagamento inesperado, sem a necessidade de ter de realizar transferências internacionais ou remessas de dinheiro, às vezes mais complicadas do que parecem à primeira vista.

Dê uma boa olhada também em seu roteiro de viagem, pensando com antecedência em quais cidades pretende parar, pesquisando na internet distâncias, bem como hotéis que podem ser encontrados nas diversas localidades. Isso lhe economizará um bom tempo! Nesse ponto, não acredite piamente em seu GPS se você tiver um, pois nem todos os hotéis que estão na internet estão no GPS, e vice-versa. Geralmente são somente os mais populares e/ou os mais caros que estarão plotados no mesmo, isso quando os mapas deste estiverem atualizados.

Faça um "check up" só para ter certeza que tudo está bem, vacinas em dia, colesterol bom, etc., mas não torne os exames tão exaustivos a ponto de "procurar" alguma coisa que você não tem. Como já falamos, não dê chance à tornar-se um hipocondríaco!

Veja ainda como está sua preparação física de modo geral.

Claro que a falta de preparação física também pode arruinar sua viagem. Porém, existe uma série de exercícios voltados à pilotagem e reforço de "músculos chave", assim como uma série de alongamentos para antes e depois da pilotagem que podem tornar sua viagem muito mais saudável e agradável, fazendo com que, inclusive, você consiga percorrer mais quilômetros em sua moto. 


Mas isso já é assunto para nosso próximo post!

Até lá!

Crédito das fotos
1a - Adv
2a. - site www.advriders.com
3a. - site www.moto.com.br
4a. - Rocam (Polícia Militar de São Paulo)


terça-feira, 22 de maio de 2012

Triumph finalmente livre do Grupo Izzo! - Tiger será produzida em Manaus!!!

Boas notícias no mundo motociclístico. Aliás, boas não! Ótimas!!!

A Triumph, seguindo os passos da Harley Davidson, não está mais com  o Grupo Izzo. Além disso, tudo indica que a próxima marca a deixar este grupo que gera tanta polêmica é a KTM. 


Na página da Triumph do Brasil ( http://www.triumph.co.uk/br/ ) já existe declaração dando conta de que a partir de julho, as motos da marca já estarão disponíveis ao consumidor brasileiro.

Mas no que isso impacta a vida do motociclista? 

Muito simples... Abre o leque da concorrência, tirando o "monopólio" principalmente das "Big Trails" de média e alta cilindrada (800cc e 1200cc), das mãos da BMW. Sim... Pois atualmente a Super Ténéré da Yamaha ainda não faz frente a R1200GS em volume de vendas, e tampouco a Ténéré 660 faz frente à F800GS, até mesmo por culpa exclusiva da Yamaha mundial que insiste em não colocar em suas motos o aclamado ABS. A Suzuki "parou" no tempo com a DL 1000 e 650 (até hoje não sabem da existência do ABS também), e outras motos como a Varadeo e Transalp da Honda, ou foram descontinuadas ou de igual forma ainda acreditam que o consumidor brasileiro tem de engolir quieto projetos ultrapassados. 

E onde há concorrência, só existem motivos para comemorar! A BMW agora vai ter de "suar" a camisa, para manter sua F800GS atualizada em com preços competitivos. Se antes não tinha páreo, agora tem. 

A Triumph Tiger 800 XC é uma moto moderna, com tecnologia embarcada de sobra para não fazer feio (ou não se mixar, como se diz aqui no sul) frente a nenhuma BMW de mesmo tamanho, bastante apta ao "off road", embora alguns comparativos digam que no off melhor ainda ir de BMW, enquanto que no asfalto, a Triumph se torna imbatível.

Aposta ainda na briga com a BMW R1200GS Adventure, enquanto a BMW "dorme nas palhas" esperando não sei o quê para apresentar sua NOVA R1300GS Adventure (Ou será R1250GS? vide http://aekmotoadventures.blogspot.com.br/2011/02/novissima-r1300gs-adventure-em-breve.html e ainda http://aekmotoadventures.blogspot.com.br/2012/01/nova-bmw-r1250gs-arrefecida-agua-esta.html ), apresentando sua Big Trail já conhecida lá fora Tiger Explorer, e sem dúvida incomodará no setor naked (com a imortalizada Triumph Speed Triple apresentada no filme "Missão Impossível") e muito mais no nicho das Sport Tourings com a Sprint GT, uma comedora de asfalto inveterada, que esbanja tecnologia e conforto, oferecida a preço muito inferior às BMW de mesma categoria (ainda que os defensores da marca BMW, como eu, insistam em dizer que nada bate uma BMW). 

Ao final das contas, o que o motociclistas quer não é só marca consagrada, mas sim uma moto boa por preço que possa pagar. 

Resta saber a que preço nos chegará, por exemplo, a Tiger 800 XC. Num comparativo "tosco", a Tiger lá fora custa USD 2000 menos que a F800GS, o que pode significar, numa projeção otimista, que aqui a mesma poderá custar em torno de uns 4 a 5 mil reais menos que a F800GS, o que já fará o consumidor brasileiro pensar. 

E você? Vai encarar a Triumph ou continuará fiel a BMW? 

Eu confesso que já fiquei pensando...

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Longas viagens de moto. Você está pronto? - parte 08

Na parte 07 passada, falamos um pouco sobre o que deve ser levado em kits de primeiros socorros, documentos, ferramentas e peças sobressalentes em geral.


Até aqui, já separamos tudo o que deve ser levadoem uma longa viagem de moto.

Hoje vamos discutir um pouco sobre como acomodar tudo isso em cima da moto. O que vai onde, como distribuir o peso, etc.




Separando as coisas

Nada melhor que o grande tapete ou carpete da sala para verificar o tamanho do problema... Afaste a mesa e as cadeiras. Se for possível, retire-as da sala... Se não tiver uma sala, utilize a cama para ordenar tudo. Uma boa maneira de você saber se não está levando coisa demais, inclusive! Se você for solteiro e assim vai viajar (sozinho) então tudo deve caber espalhado (não "roube" empilhando as coisas!) em cima de uma cama de solteiro. Ou, caso tenha uma de casal, deve caber na metade da cama.

Um casal por outro lado, deve dispor suas coisas de forma que caibam sobre sua cama. Claro, também não vale "roubar" e utilizar uma King Size, salvo, é lógico, se vocês querem mesmo viajar carregados e possuem uma moto grande (tipo R1200GS Adventure).

Vamos fazer uma síntese agora dos itens que nos propusemos a carregar, considerando um casal:

- 10 camisetas (no máximo! 5 para cada);
- 12 roupas íntimas (5 cuecas e 7 calcinhas);
- 5 sutiãs;
- 12 pares de meias (5 masculinhas, 5 femininas e 2 meia calças);
- jaqueta de pilotagem/garupa;
- calça de pilotagem/garupa;
- botas de pilotagem/garupa;
- luvas de pilotagem/garupa;
- 2 pescoceiras (1 para cada um);
- 4 conjuntos de "segunda pele" tipo Solo (2 conjuntos para cada);
- 2 blusões de lã boa (1 para cada);
- 2 pares de "crocks" (1 para cada);
- 2 pares de tênis ou "sapatênis" confortáveis (1 para cada);
- 1 shampoo e 1 condicionador pequeno;
- 1 sabonete de "hotel" (pequeno, só para emergências);
- 1 toalha de rosto;
- 1 rolo de papel higiênico pela metade (para emergências);
- 1 barbeador (homem) e 1 depilador (mulher);
- 1 secador de cabelos portátil, bivolt;
- 1 escova do tipo "abre e fecha";
- 2 escovas de dente e pasta dental (1 escova para cada);
- 1 tesourinha de unhas;
- 1 creme para mãos e corpo (para mulher);
- 1 estojo pequeno com o básico para maquiagens (para mulher);
- 1 kit de primeiros socorros (com superbonder, paracetamol, esparadrapo, gaze, antisséptico em spray, cotonetes, um par de luvas cirúrgicas, bandaid);
- documentos pessoais de ambos (carteira de identidade, passaporte válido, carteira de motorista e PID, carteira de vacinação);
- documentos vinculados à moto (CRLV, "carta verde", "soat", autorização com carimbo do consulado do país para o qual viajará, caso a moto esteja em nome de terceiros)
- ferramentas (kit da moto mais alicate de pressão pequeno, espátulas para retirar pneu, kit de reparo de pneu, bomba manual pequena, "multi tool");
- peças sobressalentes (fusíveis, filtro de óleo e ar, óleo 90 para corrente, se for pneu com câmara ainda uma traseira e uma dianteira).

Anote tudo em um papel, item por item, e confira se está tudo sobre o tapete.


Tirando as "sobras"

Nete ponto, se você tiver um pouco mais de experiência em longas viagens de moto, vai verificar que muita coisa da listagem supra e que vc tem sobre o tapete é supérfulo. 

Aficcionados em fotografia, insistem que é preciso carregar um tripé, mas este é um item que dificilmente vc irá utilizar durante a viagem, pois, por mais fácil que seja montá-lo, demanda bom tempo entre o tirar da capa, esticar "pernas", fixar a máquina, etc., tempo este que, na estrada, geralmente você não tem muitoooo sobrando não, sob pena de ter de pilotar à noite, o que já frisamos, não é nada recomendável.

Claro que tudo é muito relativo. O que é dispensável para mim, pode ser indispensável para você, ou vice-versa. Se você gosta de aparecer nas fotos, então um tripé é indispensável. Se você não gosta, dispensável. Se curte fotos de paisagem em altíssima resolução, totalmente indispensável. Se tem um "powershot" comum, dispensável. E assim vamos.

Desta forma você deve pensar sobre cada item... Não sabe ou nunca fez o reparo em uma câmera de pneu? Então para quê vc pretende levar todo ferramental para sacar o pneu fora? Total mente dispensável, em tese. Ainda que eu entenda que se você não souber fazer ao menos isso, não deve empreender uma grande viagem de moto sem antes "dominar a técnica". 

Então você de repente percebe que 2 camisetas para cada darão conta, e que mais do que 3 pares de meia é franco exagero, assim como você não vai precisar de 5 cuecas... Podem parecer não ocupar muito espaço, mas TODO ESPAÇO em uma bagagem de moto é de suma importância. Cada 50 gramas que você retira, é menos peso para a moto deslocar, representando mais economia e agilidade. Bom momento prá pensar, inclusive, se VOCÊ também não anda pesado demais, o que em uma longa viagem de moto não ajuda igualmente. 


Arrumando as malas

Retiradas as sobras, é hora de arrumar as malas, ou, os cases propriamente. 

Como dissemos, o ideal é que você tenha inner bags, pois o trabalho poderá facilitar bastante. Há ,claro, um porém... Inner bags, assim como a roupa e bagagem em si, ocupam espaço!!! Ainda mais se estiverem com fivelas e cintos para carregar. Então, se puder, suprima os cintos desnecessários. Preferível vc carregar os inners na mão, segurando a alça mais curta, do que ter uma longa cinta para passar pelo ombro e... Ocupar espaço!

Mesmo utilizando inners, é natural que sobre espaço dentro dos cases. Arrume tudo com uma certa ordem, para na hora de procurar o que você quer, efetivamente encontrar. 

Boa prática é separar a muda de roupas que você e a garupa vai usar no dia seguinte e/ou quando parar em saquinho próprio, ainda que plástico. Dessa forma, você pode acondicionar tal material no inner próprio, e subir ao quarto de hotel somente com o inner onde está a muda de roupas!

Shampoos, desodorantes, perfumes, barbeador, tesoura de unha e outros, enfim, a "necessaire" pode ir junto de capas de chuva, ferramentas e peças de reposição, preferencialmente no top case. 

Este um ponto importante!!!

Sempre mantenha as capas de chuva à mão! Devem ser a coisa no topo do top case, para que você possa abri-lo rapidamente e vestir. A chuva não vai lhe esperar!

Câmeras fotográficas melhor ficarem junto ao corpo, assim como dinheiro e passaporte. Este último, aliás, é item VITAL, e deve ser defendido como sua vida! Nunca entregue-o em mãos de estranhos, nunca deixe-o no hotel, etc. Depois vamos falar mais sobre documentos, aduanas, câmbio de moedas, etc.

O que você não vai utilizar nos primeiros dias (ex.: roupas de frio no verão), devem ir nos locais mais inascessíveis (mais embaixo do case e/ou primeiras roupas a serem colocadas no inner), enquanto que as que você mais vai utilizar nestes (camisetas, cuecas, meias), devem estar mais acima, mais à mão (as últimas roupas que você vai guardar nos cases ou inners).

Prefira sempre "rolinhos" no lugar de roupas simplesmente dobradas. A técnica é simples! Você primeiro dobra a roupa normalmente, e depois faz rolinhos com as mesmas, dispondo-as lado a lado, como na foto supra. Você vai se surpreender com a economia de espaço que terá!


Pesando tudo

Uma coisa que 99% dos motociclistas, ainda que experientes, esquecem totalmente de fazer ou acham que não é nem um pouco importante é PESAR a bagagem, ainda que no "mãonômetro". Depois não entendem porque a moto tem certa tendência de puxar para um lado, parece ter a frente "boba" demais, etc.

Desculpas não existem para desequilibrar a moto, pois existem até mesmo balanças de mão que você compra por troco de banana em "ebays" ou sites chineses da vida. Equipamentos os quais, diga-se de passagem, acabam se tornando mais úteis do que você imagina!

Moto é equilíbrio... Tanto mental quanto físico. É a integração de moto e homem. 

Da mesma forma que você segue "torto" se carregar um pesado pacote em uma das mãos e outro leve em outra, irá sua moto se um lado estiver muito mais pesado que o outro. Assim, ao formar os "inners" ou as malas com bagagem, procure equilibrar o conteúdo da mesmas. 

 Erro muito comum: colocar as bagagens da esposa de um lado e as suas de outro. Porque é erro? Das duas uma; ou a bagagem dela vai pesar muito mais do que a sua (algumas mulheres tem a incrível capacidade de enfiar pilhas e pilhas de coisas dentro de uma mala por menor que ela seja!), ou vai estar muito mais leve do que a sua (porque as roupas delas geralmente são menores e portanto, mais leves). 

É claro que misturar tudo nem sempre é o melhor dos mundos, pelo que ainda que utilizando inners, você deve ter um mínimo de organização nas bagagens. Melhor mesmo é equilibrar pesos, nenhum levando mais peso do que o outro. Sua roupa pesa mais do que a dela? Ocupa mais espaço? Azar o seu! Reduza a quantidade da mesma, ou então seja justo e deixe que ela carregue mais coisas. No final das contas, a responsabilidade pela bagagem será SUA, pois é você quem estará pilotando e carregando a carga nos braços. Portanto, procure não complicar sua própria vida! Comece dando o bom exemplo!

Colocou tudo na moto e ainda assim parece que existe algo errado? Você se sente inseguro com relação à viagem? Algum motivo lhe garanto que há... Neste blog, inclusive, já falei do "Sexto Sentido dos Motociclista" (vide http://aekmotoadventures.blogspot.com.br/2012/04/o-sexto-sentido-dos-motociclistas-voce.html ).

Se você está pressentindo algo errado, que algo falta, se tem certo receio ou mesmo medo na melhor acepção da palavra, é porque ou não está preparado psicilogicamente ou porque efetivamente falta algo bastante relevante para o sucesso de sua viagem...


Esta discussão, porém, é tema para a parte 9. Vamos nos focar nos seus principais "pontos fracos" que não podem ser deixados para trás antes de partir.

Até lá!




Crédito fotos:
1a. - internet, google images
2a. - site www.trilheirosonline.com
3a. - blog  http://blog.pddesignsimages.com/blog/gear/new-tripod/
4a. - blog http://saindoderota.com/page/3/
5a. - site chinês de venda de "bugigangas"
6a. - site www.advriders.com

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Longas viagens de moto. Você está pronto? - parte 07

Em nosso último post, discorremos um pouco quanto as roupas em geral, calçados e produtos de higiene que devem ser carregados em longas viagens:

http://aekmotoadventures.blogspot.com.br/2012/05/longas-viagens-de-moto-voce-esta-pronto.html
Hoje, falaremos sobre o que carregar em termos de medicamentos, documentos, ferramentas e peças sobressalentes.




Medicamentos e kits de primeiros socorros

Pode parecer meio óbvio, mas muitos esquecem de medicamentos básicos e tem de dar meia volta... Nada bom ter de retornar em casa após partir para uma longa viagem, abrir a casa novamente e pegar lá o maldito vidrinho, ainda que você tenha ido só até a esquina. Isso invariavelmente costuma trazer a sequência de pensamentos do tipo "Mas será que eu não estou esquecendo de mais alguma coisa?" e outros que nada de bom trazem para quem começa uma grande motoaventura. 

Mas o que são "medicamentos básicos"?  Em síntese apertada, são todos aqueles que teoricamente não podem faltar (claro, não vamos considerar hipocondríacos!).

Primeiramente, nada mais básico do que aquele que você está tomando, por conta de tratamento temporário ou permanente. Assim, se é diabético, tem de levar o kit de medição, seringas e insulina ou se, por exemplo, está fazendo um tratamento com antibiótico, deve levar a dose necessária até o fim do mesmo. 

Depois disso,  vá para a velha xurumela de paracetamol, bandaid, antisséptico (em spray, ideal para cortes superficiais, raladuras, etc), um par de luvas cirúrgicas, ataduras, esparadrapo, alguns cotonetes e sobretudo cola do tipo "super bonder" (cianoacrilato). 

Quanto aos paracetamóis e outros, você pode retirá-los do "blister" ou frasco e colocar em saquinhos tipo ziploc pequenos, escrevendo com canetas para plástico (aquelas de marcar CDs e DVDs), do que se tratam. 

Bem... Mas você ainda deve estar intrigado com a "super bonder", certo? O que isso tem a ver com primeiros socorros?

Em principio, você não vai, pois este é só para emergências mais graves, tipo cortes feios que estejam sangrando muito. 

Se você se acidentou no meio do nada, se cortou em uma cerca de arame farpado, por exemplo, e tem corte que começa a sangrar bastante, dificilmente um esparadrapo "colará" uma parte na outra (juntará a pele) a fim de estancar o sangramento. Mas acredite, a super bonder pode lhe tirar do aperto... Óbvio que não é o melhor dos mundos (depois de ter dito isso, já sei que terei um monte de médicos inimigos!), e  deve ser considerado como uma das últimas alternativas, sendo a melhor, é claro, procurar um posto de saúde, hospital ou o que o valha para avaliar se é caso de pontos, etc... Mas vá dizer isso para quem está no meio de uma ruta austral por exemplo, perdendo sangue em bicas.

Esse tipo de cola, em tese não causa maiores males para o corpo, como intoxicação, alergias, etc. Claro que não é nada recomendável que entre na sua corrente sanguínea, pelo que deve ser aplicado apenas SUPERFICIALMENTE e com extremo cuidado (até para não colar os dedos junto!), e como já falado, apenas como última alternativa (digamos, caso de vida ou morte). O que deve ser feito é a colagem apenas da PELE, não de veias ou similares.

Outra boa dica são repelentes e filtro solares de fator 50 ou mais não só no verão, mas EM QUALQUER ÉPOCA DO ANO para as partes expostas, como rosto (por baixo da viseira, queima prá caramba! Acredite!), a fim de que você não fique "mascarado", e também nuca. E não se engane achando que porque está nublado você não irá se queimar...

Quase todo o mais em termos de medicamento é desnecessário, pois você pode adquirir no caminho - caso precise - em uma farmácia. O mundo anda mais civilizado, e é bem difícil você ficar rodando muito tempo longe de uma farmácia qualquer. Se você acha que pode precisar de medicamentos mais "sérios", então talvez você precise de um médico - ou psicólogo - é agora, antes de partir. Pare com a mania hipocondríaca de achar que tem de carregar de tudo em termos de medicamento, já que "pode" dar dor de barriga, alergia, etc.

Poder, pode tudo. Basta você querer e se expor. Não vire uma farmácia ambulante! Lembre-se sempre que isso é uma viagem de aventura, não excursão de clínica geriátrica!


Documentos

Se há uma parte complicada - ou chata mesmo - em termos de viagens de moto, essa parte se chama documentação. Complicada por conta da burocracia e talvez porque seja  pura e simplesmente chata prá caramba. Todo mundo que viaja de moto, sonha com o filme "easy rider", onde o mocinho arranca o relógio e atira-o ao chão, como para demonstrar que não terá mais compromissos... 

Você pode até não ter com horários (ledo engano, pois não tarda você descobrir que fronteiras normalmente tem horários de funcionamento, fora dos quais você não passa e ponto final!), mas documentos, vai ter de ter! 

 Para viagens dentro do cone sul, em geral a exigência de documentação é bem menor. Você tendo passaporte, carteira de identidade, documentos da moto, carteira de motorista, "carta verde" e "soat", mais carteira de vacinação (Perú e Bolívia exigem vacinação para Febre Amarela), está a meio caminho andado de não ter problemas...

O grande problema começa, porém, já quando você pretende viajar mais de 30 dias, porque a carta verde, por exemplo, só é válida por um máximo de 30 dias!

Inicialmente, diga-se que a carta verde nada mais é que um seguro válido contra (ou para) terceiros  por danos materias e pessoais dentro dos países do Mercosul, embora algumas seguradoras insistam que não tem validade no Chile, por não constar no formulário. Faça-os colocar também Chile, se pretende viajar por lá. É chamada de "carta verde" por geralmente ser lavrada em papel da cor verde!

Se você fica mais de 30 dias fora, uma alternativa é você solicitar através de alguém que tenha ficado em sua cidade nova carta verde. Ocorre que geralmente lhe pedirão para apresentar o CRLV da moto. Uma cópia autenticada do mesmo pode resolver o problema. Mas mais fácil do que isso é se a sua seguradora tiver condições de expedir a mesma para você. Caso contrário, você pode recorrer a uma agência do Banco do Brasil através do seu procurador/pessoa que ficou aqui no Brasil.

Problema maior parece existir quando a moto não está em seu nome. Nestes casos você precisa de uma autorização do proprietário do veículo, lembrando que em casos de financiamentos, o proprietário é a instituição financeira.

Há os que entendam que para tal documento valer, você precisa porém autenticar tal documento no consulado que represente o país que visitará e outros, ainda, que sustentam ter de haver carimbo do Itamarati! Essa última prática, me parece cautela demasiada. O carimbo na embaixada, porém, nem tanto. Cautela demais, nunca é excesso... Então, precavenha-se para não ter de dar meia volta - se a moto não é sua - quando chegar na fronteira. Ter todos os documentos em mãos, além do mais, deixa o serviço sujo dos achacadores de fronteiras bem mais trabalhoso, e a probabilidade de quererem lhe cobrar algum "por fora" fica bem menor quanto mais documentos você tiver.

Nesse sentido, ainda que não seja necessário, mal não fará se você tiver uma carteira de habilitação internacional ou permissão internacional para dirigir (PID). Vá a um CFC de sua cidade e veja como é fácil e relativamente barato tirar a mesma.   


Ferramentas

Um erro muito comum é carregar uma quantidade absurda de ferramentas, como se você fosse desmontar o motor inteiro da moto. A probabilidade de isso vir a acontecer é próxima a zero, até mesmo porque as motos mais modernas, com toda sua parafernália eletrônica embarcada, simplesmente proibirão tal prática, já que, uma vez desmontada, você não conseguirá fazê-la novamente funcionar sem o auxílio de um computador. Assim, para consertos mais "graves" de tais motos, invariavelmente você terá de recorrer à concessionária. 

Contudo, existem algumas ferramentas básicas que você pode e deve levar. Entre elas estão um pequeno alicate de pressão, muito útil para servir de pedal de câmbio ou freio (no caso de queda e quebra de um deles) ou ainda como manete, caso algum cabo venha a arrebentar-se (nas hidráulicas a solução não é válida).

As ferramentas originais que acompanham a moto, são itens integrantes da mesma, e precisam seguir sempre com ela. Verifique, porém, se você dispõe entre as mesmas as chaves necessárias para retirar a roda, tanto traseira quanto dianteira, já que cada vez o kit de ferramentas das motos vem com menos itens. Se não contar com tais ferramentas, adquira as mesmas. Uma chave de fenda média, assim como uma philips, não fazem mal algum e ocupam pouco espaço. Outra boa dica são as "multi tools", que geralmente contam com alicate, saca rolhas, abridor de garrafas, chaves philips e de fenda, além de lâmina tipo de canivete.

Ainda duas "espátulas" para retirar a roda do pneu são itens bastante úteis a serem carregados em uma longa viagem de moto. Não se surpreenda se você tiver de trocar um pneu ou consertar a câmara de ar da moto. Esteja preparado para tanto. Nesse ponto, uma pequena bomba manual também é bem vinda, embora existam outras opções como bombinhas com cilindro de CO2 (não são tão eficientes por conta do pequeno tamanho do reservatório) ou ainda pequenos compressores elétricos. 

Outras ferramentas não são necessárias, pelas razões já explicitadas supra: se o problema for tão grande a ponto de necessitar de mais ferramental, então você vai precisar de uma oficina mecânica ou concessionária, invariavelmente.


Peças sobressalentes

Muito discutível a questão de peças sobressalentes. Quanto a estas, tenho mais do que suficiente um cabo de embreagem e um de freio (caso sua moto não seja hidráulica),mais um único do acelerador. Você não precisa de ambos, pois se arrebentar só o de retorno, não há grandes problemas e, se por outro lado só o de aceleração efetivamente se romper, na maioria das vezes você pode utilizar o cabo de retorno, invertendo-o para a função de acelerador.

Já vi gente carregar filtro de ar e de óleo, mas isso só se justifica em caso de motos que tenham tais peças restritas, como as BMW. Óbvio que é difícil encontrar um filtro de óleo de uma GS em lugar remoto e, é muito provável, em contrapartida, que você tenha de fazer a manutenção preventiva, trocando o óleo e filtro. Então, nestes casos, carregar um ou dois filtros de óleo, mal não fará. Idem quanto a um de ar, a ser utilizado mais em uma emergência (vai que seu filtro seja tomado de insetos!) do que em uma manutenção periódica. Tendo de trocar o de ar, não deixe de guardar o antigo, salvo se este estiver muito imprestável. 

Há casos "extremos" em que o motoaventureiro chega a carregar o óleo (na maioria das vezes uns 3 litros) para a troca. Sinceramente, este é o tipo de excesso que não recomendo jamais. Igualmente tenho como desnecessário carregar cabo de velocímetro (outro item que muitos carregam), ainda mais com a atual disseminação de uso do GPS. 

Velas e pastilhas de freio, por outro lado, podem ser carregadas, pois acupam pouco espaço e são itens da manutenção obrigatória que talvez você não encontre em qualquer lugar.

Por falar em óleo supramencionado, há um óleo que você não pode esquecer caso sua moto seja com corrente: o SAE 90. Claro que para isso também existem alternativas, como lubrificantes automáticos para motos com corrente tipo "scottoiler". Só não pense em utilizar graxa branca ou lubrificantes em aerosol. Estes produtos normalmente trazem mais prejuízos do que benefícios, o primeiro porque faz toda sujeira grudar na graxa, funcionando como esmeril para o elos, reduzindo drasticamente a vida útil da relação e o último por mais "lavar" o óleo existente na corrente do que propriamente lubrificá-lo. Sem contar, ainda, que este último geralmente não resiste à chuvas. 

Bom...


Agora você tem um montão de tralha e um grande problema... Afinal, como e onde carregar tudo isso na moto?

Este será o tema central da parte 08!

Até lá!

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Longas viagens de moto. Você está pronto? -parte 06

No post passado, discorremos sobre malas de tanque e "bags" em geral, com uma rápida passagem acerca de aranhas e esticadores em geral: 

http://aekmotoadventures.blogspot.com.br/2012/04/longas-viagens-de-moto-voce-esta-pronto_27.html

Hoje vamos falar de um dos maiores problemas nas grandes viagens de moto, em termos de bagagem. Afinal, o que devemos levar, o que é efetivamente necessário e o que é o "superfulo" que só fará ocupar lugar na bagagem?



Neste post vamos falar de roupas, roupas íntimas, calçados e produtos de higiene, deixando a questão dos medicamentos, documentos, ferramentas e peças sobressalentes para a parte 07. Na parte 08 falaremos como acomodar toda esta bagagem.

Vamos lá:


Roupas em geral

Camisetas, camisas e roupas de festas/eventos
Abra seu guarda-roupas. Agora verifique quantas camisetas você efetivamente usa... Garanto que se você tiver, tipo, umas 30 camisetas, só usa mesmo umas 5 ou 6. São sempre as mesmas, não tem jeito! É sempre aquela prefeida, do motoclube tal, marca tal ou com o desenho tal de moto... Você já deve estar percebendo onde quero chegar.

Para as roupas que você vai carregar, vale a mesma coisa. Você só vai levar aquelas que vai EFETIVAMENTE USAR! Tudo aquilo que você "acha" que pode vir a usar, ser necessário, esqueça! Você nunca vai usar isso! Não me venha com a história de necessário levar ao menos uma camisa e uma calça social, pois você não está saíndo propriamente em uma viagem de férias típica, e, ao menos que você pretenda visitar um cassino muito do chique no caminho, gravata e camisa social são a última coisa que você vai precisar. E olhem lá, já que os cassinos estão atualmente mais preocupados com sua grana que com sua aparência. Alguns poucos, só tem restrição à tênis e calção de banho. O resto vale. 

Dentro as que você usa, escolha entre 4 ou 5. Você não vai precisar mais camisetas do que isso, pois irá lavá-las durante o trajeto (depois explico como lavar, onde e de que maneira secá-las). Prefira ter entre as mesmas no mínimo a metade de material do tipo "dry fit", aquelas de ginástica, de secagem rápida. Mas cuidado! Se mal lavadas ou não bem secas, costumam ficar com odor insuportável de cachorro molhado ou desodorante vencido!

REGRA DE OURO: Para cada coisa nova que você comprar, é uma usada que deve sair. Comprou uma camiseta nova? Abandone a velha na loja mesmo ou faça caridade a um morador de rua ou pessoa menos afortunada...

Mesmo na remota hipótese de você ser entrevistado por grande rede de TV que vá narrar sua aventura, lhe garanto que tudo o que os telespectadores NÃO irão querer ver é um "engomado" em frente às câmeras. A camiseta confeccionada especialmente para a sua aventura em duas rodas, nesse sentido, vai mais do que bem. Ainda que você tenha de falar com o cônsul de determinado país, uma boa camiseta "neutra" (por favor! Deixe em casa sua camiseta do "Tchê" Gevara, Bob Marley, CUT e outras do gênero,  enfim, todas que fazem "apologia" a algum movimento "setorizado", "operário" ou "libertador" NÃO devem estar em sua bagagem!) e um jeans mais novo, com um par de "sapatênis" lhe apresenta bem. Estar com uma roupa cheirando bem, de banho tomado, cabelos arrumados e barba feita, é meio caminho para o sucesso!

Convença de todas as formas possíveis e impossíveis sua mulher de que vocês NÃO vão topar com uma festa inesperada pelo caminho. Vocês não estão em Hollywood, e a probabilidade de ter uma festa chique para ir é praticamente nula elevada ao quadrado. Se acontecer de existir, certamente não será num lugar tão remoto que não tenha um local para que vocês possam alugar roupas e, se for em lugar tão remoto assim, é bem mais provável que os habitantes locais usem suas "roupas de ir à missa", nada muito diferente do que você já estará carregando. Portanto, ela NÃO DEVE LEVAR nenhum vestido de festa e tampouco sapatos chiques de salto alto.  


Roupas para frio

Mesmo que seja muito frio por onde você vai passar, ESQUEÇA jaquetas sobressalentes para usar quando não estiver na moto e/ou aquela mantinha. Ponha uma coisa na sua cabeça: fora da moto, se precisar de jaqueta, você VAI USAR A JAQUETA COM A QUAL PILOTA! Simplesmente porque vai ser a peça que mais vai lhe proteger bem de frio, chuva, vento, etc. Por esta razão, se a viagem for longa, faça um favor a si mesmo: não economize em jaqueta e calça de pilotagem!!!

Tenho como melhores as jaquetas Rallye 3 da BMW, ainda que sejam um tanto caras. Se você acha o preço extorsivo para seu bolso, dê uma olhada nas jaquetas da Klim. Qualquer outra marca ou modelo de jaqueta, não vou lhe indicar, pelo simples fato de que não utilizei ainda as mesmas. As poucas que já tive, eram todas da marca Zebra. Duraram um monte, não há dúvidas, mas se você me perguntar se eu as compraria novamente, minha resposta seria NÃO, a não ser que eu precisasse economizar muito para empreender a viagem.

Dois conjuntos de "segunda pele" do tipo/marca "Solo", ocupam pouco espaço e vão muito bem por baixo de um jeans ou até camiseta de manga longa. Se você está relativamente em forma (que não seja de bola),  não passa feio utilizando apenas uma solo manga longa. Procure visitar uma loja de alpinismo/montanhismo/campismo. Sempre há boas dicas e material por lá! Só não vá se empolgar querendo levar o que você não precisa! 

Um bom blusão de lã e um moleton, preferencialmente de cor escura. Adoro um que tenho e que uso há cerca de 9 anos de lã de alpaca! Parece novo até hoje! Veja no seu garda-roupas onde está aquele bom blusão de frio "guerreiro" e opte pelo mesmo. Se você vai para um local extremamente frio, não deixe de verificar por lá o que eles tem na região. Cada lugar, cada população tem o cobertor que precisa. Nada melhor do que roupas "locais" em casos extremos. Só não vá abarrotar as malas com roupas típicas. 

Lembre-se da REGRA DE OURO!

Uma pescoceira de "soft" vai bem, ainda mais se você puder transformá-la em um gorro. Onde neva, existe este tipo de "vestimenta" em abundância. Pense ainda em duas balaclavas, sendo no mínimo uma em seda. Enrolando-a corretamente quando retira, você terá mais um gorro!

Nada de "cachecóis", fazendo o favor. Em cima da moto não servem para nada, sendo um verdadeiro risco  (podem soltar a ponta e enrolar em pedaleira ou pior, na roda traseira, enforcando-lhe instantaneamente) e, fora dela, só ficam bem em gente mais "alternativa" pelas ruas de Paris. Você já tem sua pescoceira se  for muito friorento, e lhe garanto que isso basta.

Dois conjuntos de luvas, fora o que você usa para pilotar. Um par de luvas do tipo "segunda pele", em seda ou material térmico similar são ótimas e mais uma do tipo "EPI" (equipamento de proteção individual) utilizada por mecânicos, são ótima pedida. Existem brancas e na cor preta. Opte por estas últimas. Com as mesmas, inclusive, você irá fazer manutenções básicas na moto.

E de roupa de frio chega!

Esqueça aqueles conjuntos de "neve", que são tipo "almofadados", normalmente de nylon recheado com algum estofo. Além de ocuparem um lugar bárbaro na bagagem, são extremamente frágeis e não são impermeáveis. Lembre-se que você não está indo esquiar!!! Está indo andar de moto! E se for esquiar, vou lhe contar... Não há nada melhor do que a sua roupa de moto para tanto! Ela lhe protegerá do frio, da neve e até muito bem em uma eventual queda. Digo isso com conhecimento de causa! Já fiz boas esquiadas com equipamento de moto e não trocaria por nenhuma roupa térmica própria. Vão lhe olhar estranho? Sim! Muito provavelmente! Mas é isso o que você é: um estranho ser, um motociclista!


Roupas íntimas

Homem? 5 cuecas e 5 pares de meia NOVAS e CONFORTÁVEIS. 2 meias de lã e... pronto! Chega! Mais do que isso é desnecessário. Você vai lavar a roupa íntima quase que diariamente, ou, na pior das hipóteses, dia sim, dia não. Como já disse, depois lhe explico as técnicas de lavagem e secagem... Evite as meias brancas, pois sujam muito e com o tempo voc~e não vai conseguir tirar o encardido das mesmas. As melhores, portanto, são as pretas, que além do mais, combinam com quase tudo.

Mulher? 7 calcinhas, 5 pares de meias NOVAS e CONFORTÁVEIS, 5 sutiãs. 2 meias calças, sendo ao menos uma de lã, e outra de fio grosso. Você não vai precisar de meias calças finas, tipo "fio 10 ou 20", tampouco meias "arrastão" acredite. E chega também, pois você vai lavá-las na viagem. Em tempo... Calcinhas confortáveis não significam calcinhas cor-da-pele ou aquele "bege-véia". Isso ninguém merece!!! Você não precisa levar calcinhas extremamente "sexys", mas calcinhas do tipo geriátricas devem ser todas queimadas! Salvo, é claro, se você for uma freira...

E... Lembre-se da REGRA DE OURO!


Calçados

Procure botas confortáveis de pilotage, que você eventualmente possa utilizar fora da moto. A BMW tem um modelo excelente, chamado "Santiago", que não faz feio nem no off road, aguenta bem chuvas e tempestades em geral e ainda pode ser usada para pequenas caminhadas sem parecer que você está calçando botas de esquiar.

Um bom par de tênis ou "sapatênis" é o que você vai levar na bagagem para suas caminhadas pelas cidades onde parar. Mais uma vez, vale o que dito para a roupa social. Esqueça sapatos sociais ou de couro.

Para mulheres, vale o mesmo: a bota de pilotar ou de "garupar" mais um tênis ou bota de cano curto, desde que extremamente confortável. Tudo o que você quer, muitas vezes ao chegar no hotel, é um bom banho e um calçado confortável para descer até o café da esquina. Esqueça tamanquinhos e sapatos de salto. Ocupam um espaço que você não tem e são algo que você não vai usar.

Ultimamente inventaram uns tais de "crocs" que já tem similares por todos os lados. Eu acho os mesmos extremamente feios. Mas é inegável que são confortáveis e uma mão na roda desde para você tomar banho a ir para o café da manhã. Invista num par dos mesmos. 

E de calçados era isso, valendo a regra anterior da REGRA DE OURO!



Produtos de higiene

1 shampoo e condicionador pequeno (salvo se careca), 1 sabonete de hotel, 1 perfume (para homem ou mulher), 1 rolo de papel higiênico pela metade (para "emergências"), 1 desodorante e 1 toalha de rosto (igualmente para emergências, pois todo hotel que se preze no mínimo toalhas terá), barbeador se homem, depilador se mulher, 1 secador de cabelos bivolt com adaptador(es) de tomada, escova de cabelos do tipo "abre e fecha" (carecas, um bagulho a menos para carregar!), 1 escova de dentes e pasta dental, 1 tesourinha de unhas. Se mulher pode carregar mais um creme que sirva para mãos e corpo.

Mulheres! Por favor, nada de um creme para os pés, outro para as mãos, mais um pro rosto, reparador para cabelos, todos acessórios de maquiagem, etc., etc., etc. Lembre-se que é uma viagem de moto, não uma mudança! No mais, 70% do tempo você estará ou de capacete, ou dormindo. Portanto, não precisa de toda maquiagem que você acha que precisa... Mantenha sua beleza, mas não leve o salão de belezas junto! Se em última hipótese você precisar de um salão, acredite em mim quando digo que você encontrará vários no decorrer da viagem. O fato de você ir viajar de moto, não quer dizer que esteja fazendo uma viagem à lua ou marte!!! Câmbio! Terra! Se não houver salão de beleza onde você acha que vai precisar, é porque não só você não precisa se produzir como NÃO DEVE, sob pena de infringir costumes locais ou chamar indevidamente a atenção de forma a arriscar sua integridade física!

Sim! Mesmo, e principalmente na América do Sul, existem certos lugares mais afastados da "civilização" onde você aparecer toda arrumada e maquiada pode na melhor das hipóteses ou "pegar muito mal", ou até mesmo trazer dúvidas quanto a sua moral.

Lembrem-se sempre, tanto homens quanto mulheres: viajar de moto é uma viagem de aventura e que, portanto, sofre algumas "restrições", se é que pode ser visto desta ótica. Não é uma festa e nem uma viagem "comum". Fosse, você iria de avião ou na pior hipótese de carro. 

Todos os produtos de higiene, fora a toalha, devem caber em uma "necessaire" de tamanho médio, inclusive papel higiênico! Se não couber, algo está muito grande... Ou o papel, ou a escova de cabelos ou mesmo o secador. Revise e procure algo de tamanho menor, mas eficiente. Não adianta, por exemplo, comprar um secador ultra-mega-compacto que não seque nada, pois você vai utilizá-lo mais do que pensa... 


E é só isso o que você vai levar em termos de roupas e produtos de higiene.

Achou pouco? 

Separe tudo e coloque lado a lado, que você vai ter bons metros quadrados opupados no chão da sala! Para uma viagem de moto, até jé é coisa demais!!!

Para este post, acabamos. Na próxima parte falaremos de medicamentos, documentos, ferramentas e peças sobressalentes.

Até lá!